domingo, 28 de abril de 2013

E contando....

Ainda bem que não sou ligada em críticas literárias, e esse foi um dos motivos de ter mudado a cara do site, não posso dizer se um livro é ou não bom, pois acho que cada um entende o que quer de cada texto... 

Mas enfim, continuando, li críticas horríveis ao 22° livro,Charlotte Street: O amor pelas ruas de Londres de Danny Wallace. Dizendo que ele era arrastado, difícil de ler, lento... Bem, eu li as cerca de 500 páginas em um dia... Então não acho que seja tão ruim! Pelo contrário! Eu realmente gostei do livro!
E um dos motivos dessa velocidade na leitura é porque o personagem principal, em partes, me lembrou de mim... Querendo não acreditar em romances, mas cheio de esperanças de encontrar O grande amor... Ainda perdida com  30 e poucos anos...
Bem... Recomendo aos trintões perdidos, como eu, que leiam... Dá esperanças para um final feliz... OK, talvez ele não chegue nunca... E é bom sermos realistas... Mas, por que não, realistas otimistas?

 O personagem (sim, eu sei que o correto é sempre a personagem, mas vou escrever como eu quero porque o site é meu!) principal é homem. Mas eu me identifiquei... A idade, aquela sensação de que “Pronto! A vida é isso!”, a vontade de ter aquele grande amor (não acredito que tenhamos só UM amor na vida, mas continuo acreditando que temos UM grande amor na vida... Aquele que é “para sempre”), e finalmente, as esperanças... 

 Sou uma pessoa extremamente ansiosa... E acho que um dos motivos é o tal medo de criar esperanças demais e ficar frustrada porque as coisas não aconteceram como eu imaginei... Acho que é por isso que desenvolvi meu TAG! Acabo então pensando no pior cenário possível, então, o que vier, será lucro!

 O único problema disso é que a tal da esperança que aparece sem ser chamada me enche de medo. E aí, “Olá, ansiedade”. 

Metade de mim tem medo de amar e me decepcionar... A outra metade tem medo de nunca mais amar...

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Diga trinta e três

As últimas semanas tem sido bem corridas...

Primeiro foi o aniversário, que chegou trazendo meus 33 anos e o fim de um inferno astral que me fez quebrar muitas coisas.... A cama, o celular, bancada de restaurante, copo, espelho, as finanças, a cara e o coração...

Tomei também algumas decisões nos últimos tempos... Algumas não foram fáceis de serem tomadas... Nem sempre as decisões certas refletem o que queremos realmente...

Do jeito que falo, parece que tudo foi ruim no tempo em que sumi aqui do Livros e Pipoca... E não é, em absoluto, verdade... Apesar dos contratempos, tive tempo para rir e me divertir!

Além disso, comprei vários livros no Google Play! Uns 10! E tempo para ler? Nada!

Mas ao menos li o 21° livro! Nicholas Sparks, seu chato! Como pode fazer tantos livros com finais que eu não gosto? Dá para você ser um pouco mais otimista??? Ok... A vida real tem seus finais não tão felizes... Mas, ao ler um romance, eu quero ser enganada! Quero o final mais feliz que possa ter... Bem, ao menos quando leio um romance de um autor reconhecidamente açucarado! O livro é "Um amor para recordar". E a maioria já deve ter visto o filme... Apesar de algumas diferenças, eles seguem a mesma linha... Então, se chorei no filme, imaginem o choro no fim do livro! Se você quer abrir a torneira, leia! Se não, fique longe!

Tentarei correr para por as leituras em dia. Mas tenho de admitir que não ando a pessoa mais animada ultimamente. Então, talvez, os livros previstos para serem lidos em abril, sejam lidos somente em maio... Ou junho... Julho... 2014???

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Começando cedo...



Mais de duzentos livros no Google Play! Obviamente, não comprei todos. Muitos estão na lista. Alguns foram de graça. Outros custaram caro. Muitos ainda não foram lidos. Ou seja, além de uns duzentos livros físicos, o google play me viciou em comprar livros ‘virtuais’. 

Mas falando dos livros lidos... 

Desde que separei, tenho tentado deixar o apartamento mais com minha cara. Já mudei muita coisa... Pintei paredes, comprei quadros, coloquei adesivos, mudei móveis... A casa foi ficando com jeito de menininha... Mas ainda quero mudar mais... Quero deixar mais com cara de Fabi. E mais organizada. Sempre mais organizada... Porque afinal, eu detesto arrumar, mas também detesto bagunça!

Por isso, o 18° foi decorrente da minha busca de entender mais de decoração. Eu sou péssima com moda e afins... Por isso quase só uso preto. Assim não preciso combinar cores. Sou ruim mesmo nesse negócio de harmonização... Ou seja, em casa, não seria diferente. Mas não quero pintar as paredes todas de preto... Então comprei no meu fornecedor (vou passar a chamar o Google Play de fornecedor pelos motivos obvios), o “Pequeno livro de Decoração: guia para toda hora” da Elaine Hipólito. 

Pra falar a verdade, fiquei meio desapontada. Acho que o livro serve mais para iniciantes no mundo profissional da decoração. O que não é bem meu caso. Ficaria então com os sites de decoração que eu adoro. Um dos quais é o http://miniapartamento.com.br/! Afinal, hoje em dia, apartamentos são cada vez menores... O meu é praticamente um cubículo. Acho que faltaram fotos no livro. Para exemplificar... E sério? Lavabo? Closet? Copa? Bem... Meu apartamento não tem nadica disso!

O 19° livro foi “O diário de Helga” de Helga Weiss. Eu adoro livros sobre quem viveu determinada realidade. É a história do cidadão comum. A minha ou a sua. A história feita no dia-a-dia. A história de todos nós, milhões de anônimos. E a Segunda Guerra Mundial é outro fator que colaborou para meu interesse no livro. É sempre complicado falar de uma história tão recente. Muito ainda será dito. Muito ainda será discutido. Eu, porém, sou fascinada por guerras (somente na história! Nada de conflitos reais! Sou medrosa demais!). O livro é realmente bom. Infelizmente, ou felizmente, a Helga reescreveu alguns trechos do livro. O que faz perder um pouco a autenticidade do “aqui e agora”. Mas são as memórias dela. É a vida dela. Quem sou eu para julgar como ela quer apresentar isso para o mundo? As minhas memórias, por exemplo, seriam editadas várias e várias vezes. 

Como eu disse antes, ando lendo muitos livros cristãos. Eles tem me feito bem. Mas na contramão, o 20° livro foi “O Anticristo” do Friedrich Nietzshe. Acho importante que todo mundo leia. Cristãos, ateus, budistas, hinduístas... Ler sobre religião é sempre bom. Eu acho! Expande os horizontes. Faz a gente pensar em muita coisa.

Nietzshe não é uma leitura muito fácil para nós, cristãos. Eu tenho de admitir que rola um certo mal estar durante algumas passagens do livro. Porém, não acho que isso abale a minha fé, no que eu acredito. 

Primeiramente, acredito em Deus. Independente de ‘provas’ que Ele possa nos dar. É algo como sinto em relação a São Francisco de Assis. O admiro pela sua vida, pela sua obra, por ter se dedicado a outros, sem querer nada em troca. O fato dos estigmas não influenciam na admiração que sinto por ele. E eu, particularmente, acho que era Hanseníase. Mas isso é minha opinião particular. E não diminue o grande homem que ele foi.

Vale ler o livro. Claro que existem coisas que eu realmente não concordo. Nietzshe consegue “falar mal” de muitas outras coisas além do cristianismo. Mas outras me fizeram pensar. E pensar e questionar, na minha modesta opinião, sempre é bom! E além de fazer pensar na religião, também faz pensar sobre nós mesmos. 

Não acho que vá mudar a fé de ninguém, mas ao menos fará o outro parar para pensar.

É isso! Agora é hora de correr... Mês de aniversário é sempre cheio! Muitas atividades! Ainda bem! Mas acho que o tempo basta para ler os outros quatro livros que preciso para continuar na minha meta de seis livros por mês...