terça-feira, 2 de agosto de 2011

Dois livros e muitos links...



Livro 27: Na companhia da cortesã – Sarah Dunant

Vou começar com os dados técnicos do livro. É publicado pela editora Record e a tradução é de Ana Luiza Dantas Borges. A edição que eu peguei emprestada é de 2008. E são 389 páginas.

Adorei o livro. É um romance histórico. Ou seja, a partir de um fato ou uma personalidade histórica, cria-se uma história. Acho que são meus tipos de livros preferidos. Por isso sou tão fã de Bernard Cornwell e da Philippa Gregory.

O livro conta a história de Fiammetta Bianchini que é a cortesã do título e do seu amigo/cafetão/parceiro o anão Bucino Teodoldi. A história começa com ambos fugindo de Roma após uma invasão espanhola e seguindo rumo à Veneza. E o livro trata, principalmente, da vida desses dois em Veneza e das pessoas que os cercam.

O livro é realmente muito bom. E vale a leitura que é fácil e rápida. Apesar de serem 389 páginas (para os que podem reclamar da quantidade de páginas), o livro é envolvente e dá para ler super rápido.

Livro 28: Noites de Tormenta – Nicholas Sparks

Assim como o livro anterior, vou começar com os dados técnicos do livro. É publicado pela editora Novo Conceito e a tradução é de Saul Barata. A edição que eu peguei emprestada é de 2008. E são 173 páginas.

É um livro curtinho e dá para ler em um ou dois dias.

O livro conta a história de Adrienne Willis e da redescoberta do amor. A minha ressalva é que (sem querer estragar), não temos um final feliz. Assim como o outro livro que eu li do Nicholas Sparks. Será que algum deles tem um final feliz? Do tipo: “e viveram felizes para sempre”?

Ok! Sei que a vida real não é assim! E mesmo os casais que continuam juntos por anos e anos têm de superar dificuldades e passam por “noites de tormenta”. Mas é um livro... Eu quero finais felizes! De finais tristes, o telejornal está cheio!

Provavelmente, existem opiniões de que não se trata de uma história triste já que é uma história, antes de tudo, sobre a vitória do amor e sobre amar e ser amado. Continuarei achando triste... Quero protagonistas ficando velhinhos juntos!

Uma coisa que eu senti lendo o outro livro do autor e lendo este, é que ao acabar o livro, eu fico com uma vontade de abraçar quem eu amo. Sabe? De gritar “eu te amo”, de fazer declarações de amor, de abraçar, de namorar. Se eu não amasse, acho que ficaria com vontade de me apaixonar.



Vários links:

Ainda quero ir:

Adele, adoro!

Última refeição:

Comidas com ingredientes nojentos:

Um comentário:

  1. Oi Fabi, adorei o post. O primeiro livro eu fiquei muito interessada, depois eu quero ver se eu consigo ler. O segundo eu já assisti ao filme e realmente é muito tristeeee!!! :( Tb prefiro finais felizes. :) Bjssss

    ResponderExcluir