sexta-feira, 6 de maio de 2011

Blogagem Coletiva


Um dos sites que eu mais gosto é o Livros e afins (juro que pura coincidência que tem o mesmo nome do fotolog). De vez em quando, surgem sugestões de blogagens coletivas.


Que livro marcou a sua vida e você recomenda?

Foram vários. Complicado dar um único nome de livro quando amo tantos livros. E cada um faz parte de um momento da minha vida e cada um serviu para um propósito. Como o livro Jane Austen: A Vampira - Michael Thomas Ford. Ótimo livro. Recomendo. Pra que serviu? Para eu rir e passar o tempo no aeroporto.

Posso citar ainda toda e qualquer poesia de Vinicius de Moraes, o livro ‘Fazes-me falta’ da Inês Pedrosa, ‘A marca de uma lágrima’ e ‘Feiurinha’ do Pedro Bandeira, ‘A menina que roubava livros’ do Markus Zusak, ‘O Conde de Monte Cristo’ do Alexandre Dumas, ‘Travessuras da menina má’ do Mario Vargas Llosa, ‘A cidade do sol’ de Khaled Hosseini, ‘O menino do pijama listrado’ de John Boyne, ‘Castelo de Vidro’ da Jeannette Walls, ‘O Caso de Charles Dexter Ward’ do H.P. Lovecraft, ‘Precisamos falar sobre o Kevin’ da Lionel Shriver, ‘Francisco de Assis: O Santo Relutante’ de Donald Spoto, ‘Inés da Minha Alma’ da Isabel Allende...

Cada um desses livros e de todos os outros que eu li marcaram a minha vida de alguma forma.

Que livro você se arrepende de ter lido e não indica de maneira nenhuma?

A última frase da pergunta acima serve para esta pergunta também. Cada um desses livros e de todos os outros que eu li marcaram a minha vida de alguma forma. Alguns de forma bem ruim.

Já citei aqui todos os livros da série Gossip Girl. Também não sou a maior fã de livros de auto-ajuda apesar de já ter lido vários.

Aqui também cito ‘Leis de Murphy e outros motivos porque tudo dá errado’ do Arthur Bloch (e todos os livros da série). Ou ‘Mulher: Manual do Proprietário’ do Carlos Queiroz Telles. ‘O Código Da Vinci’ do Dan Brown. E ‘Como enlouquecer sua sogra’ de Andrey do Amaral. Esses são alguns dos livros que eu realmente não gostei.

Porém, indico todos eles. Por que? Pelo motivo que expus no primeiro post do site e que reproduzo aqui:

“Antes de começar o post de hoje, vou avisar que eu detesto críticas literárias... E por quê? Porque me deixam com a sensação de que eu serei influenciada pelo crítico... Porque, de um livro, as pessoas entendem o que querem... Ler é uma experiência muito pessoal... O que eu entendi, serve para mim! Não serve para você... Ou seja, ainda que eu leia um livro e o deteste, leia também. Você pode amá-lo! E ainda mostrar-me um novo ponto de vista... “

Um comentário: